Saúde e Massagem
O que é a Hipertensão Arterial?
A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica de natureza multifatorial, caracterizada por níveis de pressão arterial (PA) elevados e permanentes, condições que aumentam o risco de dano em órgãos atingidos como o coração, cérebro, rins e vasos periféricos. 
A HAS é um importante problema de saúde pública, estimando-se em 20 milhões o número de brasileiros considerados hipertensos. 
Considerando as inúmeras opções terapêuticas atuais, a HAS é um problema médico que pode ser solucionado, diminuindo-se as complicações cardiovasculares. 
Classificação da Pressão Arterial em Adultos (mmhg)
 Categoria  

Sistólica

Diastólica

 Normal

< 130

< 85

 Normal alta

130 - 139

85 - 89

 Hipertensão   
 leve

140 - 159

90 - 99

 moderada

160 - 179

100 - 109

 severa 

180 - 209 

110 - 119

 muito severa

> 210

> 120

 

A medida da pressão arterial é uma atitude médica que deve ocorrer em toda a consulta de qualquer especialidade. O esfigmomanômetro de mercúrio é o instrumento ideal para as medições. Recomenda-se que sejam realizadas no mínimo 3 medidas numa única consulta e pelo menos em duas ocasiões diferentes. 
No próximo artigo estaremos abordando os objetivos do tratamento da Hipertensão Arterial. 

Os objetivos do tratamento da Hipertensão Arterial
Os objetivos do tratamento da hipertensão arterial consiste em prevenir as seqüelas de longa evolução da doença. A menos que haja uma necessidade evidente para uso de terapêutica farmacológica imediata, a maioria dos pacientes deve ter a oportunidade de reduzir sua pressão arterial através de tratamento não farmacológico, por meio de medidas gerais de reeducação: - A redução do peso deve ser fortemente encorajada em pacientes obesos. Uma queda da pressão arterial pode ocorrer mesmo antes do peso ideal ser atingido. - A ingesta de gorduras saturadas deve ser reduzida (gordura animal) . As taxas de colesterol e triglicerídeos devem ser objeto de orientação nutricional especializada. - O consumo de álcool deve ser moderado e o fumo abolido. - Recomenda-se restrição moderada de sal (sódio) - A atividade física deve ser estimulada de maneira regular (30 - 60 minutos, 3 a 4 x/semana), dinâmicas (caminhadas, natação, ciclismo, corridas leves) e alguns esportes, de acordo com a capacidade física e condições individuais. Exercícios de maior intensidade, principalmente acima de 35 anos, devem ser precedidos de avaliação cardio vascular e iniciados de forma gradual. A introdução terapêutica farmacológica torna-se necessária quando a restrição de sódio, o controle da obesidade e a modificação de fatores ligados ao estilo de vida não reduzem suficientemente a pressão arterial.

Saiba mais sobre os Triglicerídeos e como controlá-los melhor
O aumento dos triglicerídeos é um distúrbio lipídico relativamente freqüente na prática clínica. Na maioria dos casos, as hipertrigliceridemias são causadas por distúrbios no metabolismo dos hidratos de carbono (açúcares). 
A hipertrigliceridemia pode ser classificada em: 
- Primária - quando não apresenta fator desencadeante, ou seja, distúrbio metabólico freqüentemente acompanhado de outras alterações significativas como redução do HDL (colesterol "bom") e aumento do LDL (colesterol "ruim"). 
- Secundária - quando decorre de outras doenças como diabete mélito, hipotireoidismo, nefropatia crônica, alcoolismo, obesidade e uso de medicamentos, como estrógenos e outros. 
Considera-se como normal o valor de 200ml/dl. 
Raramente encontramos a hipertrigliceridemia isolada sendo freqüentemente acompanhada por aumento no colesterol total. É importante a avaliação clínica e laboratorial para que se possa atuar nos fatores desencadeantes, tais como: 
- redução do peso corporal, 
- abolição do álcool, 
- substituição de medicamentos. 
A intervenção dietoterápica é o passo inicial no tratamento, baseada principalmente na redução da ingestão de carboidratos simples (mel, açúcar, geléias, bolos e doces caldados em geral). 
Devemos controlar a ingestão de carboidratos complexos, como arroz, batata, derivados do trigo, principalmente em casos de obesidade. 
Basicamente a dieta deverá ser rica em frutas, vegetais e legumes, evitando-se os açucares, bebidas alcóolicas, gorduras saturadas (manteiga, leite integral, queijos amarelos, pele de aves, embutidos em geral). 
O ideal é que a dieta seja elaborada por um profissional nutricionista que terá condições de orientar para um perfeito equilíbrio calórico-proteico. 
A hipertrigliceridemia é o distúrbio lipídico de mais fácil controle por mudança nos hábitos de vida: dieta equilibrada, aumento da atividade física (p.ex. caminhadas diárias), restrição ao álcool. 
Devemos tratar a hipertrigliciredemia para prevenir a arterioesclerose e suas complicações.

Voltar ...

  enviar a um amigo imprimir